Símbolos

Todas as entidades públicas e até mesmo as privadas possuem símbolos que as identificam. O Município de Telêmaco Borba possui símbolos que lhe dão a caracterização legal, cívica e moral, retratando suas peculiaridades.

Os símbolos municipais são: a Bandeira, o Brasão e o Hino Municipal.

BANDEIRA

A Bandeira do município compõe-se de um “retângulo medindo 14 módulos de altura por 20 módulos de comprimento, terciadas em palas de igual largura, sendo o vermelho o pano de fundo ou pala destra, de azul e sinistra; a pala central é de cor branca, carregada em abismo do Brasão de Armas e que terá altura proporcional à largura desta pala”.

1

1

1BRASÃO

O Brasão municipal, cujo projeto de lei remonta à primeira legislatura, teve encaminhamento em 1964 pelo chefe do Poder Executivo, na época, Péricles Pacheco da Silva para a Câmara Municipal, a fim de que fosse aprovado o modelo do escudo oficial de Telêmaco Borba.

Contudo, foi na 4ª legislatura, em 1981, que aprovou-se em definitivo o Brasão dentro dos padrões da herálica, estabelecendo os regulamentos para seu uso.

Assim, o Brasão de Armas ficou oficializado e desta forma se descreve:

“Escudo português redondo banhado de ouro filetado de prata, carregado de cinco árvores de pinho estilizadas de sua cor, postas em banda, e todo entre escudete de prata carregado de três Pinheiros do Paraná, (araucária angustifólia ou brasiliense), de sua cor postos em faixa sendo, de maior e do centro, apoiado em pontas sobre secção de roda dentada de ouro, e o todo sobre campo vermelho; à destra, em campo azul, cornucópia de prata voltada para a ponta, derramando pepitas de ouro. No timbre, coroa mural de ouro lavrado de negro, à destra, haste de milho (zae mays) frutada e a sinistra, ramos de soja (gelycine soya) granada, ambos de sua cor, em ramados em aspas sob o stel e atado de laço nacional, listel de vermelho ostentado o topônimo “Telêmaco Borba” entre as inscrições de ouro “5 de Julho de 1963″, em caracteres latino moderno”.

HINO

O Hino de Telêmaco Borba, remonta também ao período da primeira legislatura municipal, na década de 60.

Sua música foi feita pelo maestro paranaenses: Bento Mossurunga.

A letra tem a autoria de Eloah Martins Quadrado, que além de ser pioneira do município é sobrinha do maestro.

Vale ressaltar a importância desse hino, já que foi a última composição de Mossurunga, antes de seu falecimento, em 1970.

HINO À TELÊMACO BORBA

LETRA: Eloah Martins Quadrado
MÚSICA: Bento Mossurunga

Das virgens matas e campos verdejantes
Servindo-se também o rio Tibagi,
Homens de ideais, espíritos vibrantes.
Constituíram as indústrias aqui.

Estribilho:

Salve! Salve! Telêmaco Borba
Terra querida e de grandes primores,
A nossa homenagem rendamos
À cidade dos trabalhadores.

Pois a cadência de enorme e real progresso
Um município mui grandioso fez nascer,
Marcando assim, verdadeiro sucesso
Faz, então o Paraná engrandecer.

Bento Mossurunga

Nascido em Castro, Estado do Paraná no dia 06 de maio de 1879, filho de João Bernardes e Graciliana Reis D´Albuquerque Mossurunga.

Desde garoto Bento Mossurunga revelou-se exímio tocador de viola caipira, instrumento que seu pai e seu tio executavam.

O som do órgão tocado por suas irmãs Vicência e Joana também influíram positivamente no futuro do Maestro.

A poucos quilômetros do centro existia uma colônia de negros também influenciaram o maestro com seus ritmos africanos.

Em 1905 embarcava em um vapor, partindo do Paranaguá ao Rio de Janeiro para tentar a sorte nos meios artísticos musicais daquele grande centro. No Rio assumiria o seu primeiro emprego como violinista do Teatro de variedades “Guarda Velha” com o ordenado de 6.000 réis.

Em 1930 voltou a Curitiba e fundou a orquestra Estudantil e Consertos – Orquestra Sinfônica da Universidade, a Sociedade de Cultura Artístico Basilio Itiberê. Muitas de suas músicas foram dedicadas a seus familiares e ao Paraná. Entre elas, Lindo Rincão, Tardes de Curitiba, Céu de Curitiba, Nosso Brasil, Canção do Pinheiro.

Em 1903, o Paraná comemorou o cinquentenário de sua emancipação política e Mossurunga compôs o Hino do Paraná, que foi oficializado por Decreto Lei Estadual pelo Governador Moisés Lupion.

Sua última composição foi o Hino a Telêmaco Borba em 1969. Faleceu aos 91 anos de idade em 23 de outubro de 1970.

Eloah Martins Quadrado

Nascida em Castro, Estado do Paraná no dia 05 de março de 1927, filha de Reynaldo Martins de Oliveira e Herculana Torres Martins.

Com 19 anos mudou-se para São Paulo com o objetivo de estudar. Após 4 anos, concluiu o curso do Colegial Normal e enfermagem. Foi escolhida pela direção da instituição como a oradora da turma pela sua destacada oratória. Ao regressar para a então Fazenda Monte Alegre pertencente ao município de Tibagi, em 1949 casou-se com Tito Quadrado, com quem teve cinco filhos: Leila, Liliam, Elaine, Francisco e Telma.

Em 1952, foi nomeada primeira professora da Cidade Nova, atual Telêmaco Borba, pelo então Governador Moíses Lupion. Como reconhecimento por suas atividades como professora, foi nomeada pelo então Governador Ney Braga, com diretora do Grupo Escolar Manoel Ribas acumulando ao mesmo tempo o cargo de Inspetora Auxiliar Municipal de Educação. Em 1963, foi nomeada Inspetora Regional de Educação, para Telêmaco Borba, Ortigueira, Tibagi, Grandes Rios, Candido de Abreu e Reserva. Sempre envolvida em ações sociais, em 1963, foi eleita vereadora, a partir dai dedicou-se mais intensamente à vida pública. Em 1972 foi novamente eleita vereadora de Telêmaco Borba.

Em 1969 compôs o hino do recém criado município em parceria com seu tio, o Maestro Bento Mossurunga.

Gostei, quero compartilhar!